sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Esterco

Disseste bem
Não valho um esterco
Foste o esterco falaz
que tentara adubar e adular
a mim, essa linda roseira
germinada entre as duras rochas.
O esterco há tempo
fora perdendo os atributos
as particularidades
propriedades
penetrabilidade
Hoje tu, esterco
só aduba e lisonjeia
ervas daninhas.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Ignorante

Os ignorantes nunca mudam. Ouço e leio de um ignorante palavras discrepantes entre o surreal e o aceitável, lesando algo que deveria ser intocável. Com esse objetivo ele mostra a repulsa que sente presente na condição de homem inferior. Portanto, por muito mal que ele faz, ele nunca deveria vociferar os seus distúrbios mentais.

Ele valoriza por demais as palavras cruéis, quando deveria dar o justo valor àquilo que afinal sente, e se livrar da consciência pesada em relação as afirmações que faz.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Degrau a degrau

Eu nunca tive pressa,
nunca corri,
sempre andei
com os meus passos curtos e lentos,
e nessa minha constância
sempre consegui fincar a minha bandeira
no topo das mais altas
montanhas. 

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Nada

Adoro fazer nada. Quando nada faço sou indesejável. Nesse instante é o que faço, nada. O nada parece torna-se impuro. Como pode alguém não fazer nada? Eu posso. Acanho-me e ruborizo quando sou elogiada de malandra, folgada, não tenho apreço por elogios. Essa timidez ainda me mata.

Cheiro

Ah! Esse meu olfato
ele é muito cruel comigo
Se o teu cheiro é diferente do meu
e é gostoso, alucino
sou amante enlouquecida
Quando cotidianamente
misturado ao meu
perco o fascínio
ganho um amigo
Se o teu cheiro
for misturado ao de outras
serás indesejável
terás cheiro de cachorro molhado
Para mim
estarás amaldiçoado.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

O nada

Se acha que lhe devo algum dinheiro,
envia a cobrança que eu pago.
Se me disser que lhe devo a sua vida
peço que coloque o seu preço.
Se me falar que a sua vida não tem preço e sim valor,
Sinto muitíssimo,
não haverá resgate.

Toque

Um hangout ao alcance de um clique
Um contato na lista que os olhos não piscam
Uma vontade de falar que desequilibra
Um medo generalizado de dar o grito
E assim se sacrifica
Enche o raio do saco e
Desliga.